FAQ – Missa Nova

/FAQ – Missa Nova
FAQ – Missa Nova 2017-06-26T18:01:11+00:00

Entre outras coisas, as mudanças litúrgicas do Vaticano II refletem os erros doutrinários do Concílio no que concerne: ​​(1) a unidade da Igreja; (2) ao ecumenismo; (3) à liberdade religiosa e (4) à colegialidade.  (Veja “O que há de errado com o Vaticano II?”)

A nova liturgia é uma liturgia ecumênica que procura apagar qualquer doutrina que seja exclusivamente católica e ao mesmo tempo transformar a liturgia católica em uma forma de culto que não seja ofensiva aos protestantes. É um culto centrado no homem, despojado de todo simbolismo do sobrenatural.

O Novus Ordo Missae de Paulo VI é uma disciplina litúrgica maligna, porque:

  • Contém uma definição herética da Missa;
  • Foi composta com o propósito expresso de fazer uma liturgia ecumênica, agradável aos protestantes, despojada das verdades católicas relativas ao sacerdócio, ao Santo Sacrifício da Missa e à Presença Real de Cristo na Santa Eucaristia;
  • Foi composta com a colaboração de seis ministros protestantes, o que demonstra o espírito herético com que foi concebida e formulada;
  • Os autores suprimiram sistematicamente de suas orações as doutrinas que pudessem ser ofensivas aos hereges;
  • Ensina, tanto por suas omissões quanto por seus simbolismos e gestos, heresias e erros relativos ao sacerdócio, ao Santo Sacrifício da Missa e à Presença Real de Cristo na Eucaristia.

Além disso, essa liturgia é muito provavelmente inválida devido a um defeito de intenção que causa naquele que a celebra, e devido, pelo menos no vernáculo, a uma alteração blasfema das palavras de Cristo na fórmula de consagração. (N.d.T. Referência ao “Por vós e por todos” enquanto o correto seria “por vós e por muitos”)

Extraído de “Vatican II, the Pope and the Mass” por Donald J. Sanborn. 

Fonte: Traditional Mass

Comentários Recentes